Portugal Start-Up: 2011

quinta-feira, 29 de dezembro de 2011

Franquias de Sucesso - Ilico obras

O franchising Illico Obras introduz no mercado Português o inovador conceito de mediação de obras. Este conceito consiste em procurar empresas de construção que respondam aos parâmetros de qualidade impostos pelo franchising e propor os serviços dessas empresas ao público, através de uma rede de lojas.
A ideia foi importada de França por Camilo Costa, um dos sócios da Master Sales -Consultoria e Serviços, Lda, empresa que detém a marca em Portugal e que é responsável pela sua expansão no nosso país.
As conclusões do estudo “Quais as franquias de amanhã? Da reflexão à acção” publicado pela Caisse d’Epargne revelam que a mediação de obras é um dos sectores emergentes com maior potencial de desenvolvimento e no qual vale a pena investir. Mais concretamente, o jornal francês Le Figaro aponta a Illico Obras como uma marca “prometedora” e com “um belo futuro no serviço a particulares”.
O desenvolvimento do franchising em Portugal iniciou-se em Janeiro de 2009 e neste primeiro ano consolidou-se a abertura de 10 lojas. A Illico Obras, pretende explorar o mercado da construção e remodelação ocupado pelas empresas com menos de 9 trabalhadores, e que representa um volume de negócios na ordem dos 10.000M€. O objectivo da rede consiste da conquista de uma quota de 10% desse mercado até 2015, que representa em 1.000M€ e respectivamente 150 M€ de comissões.
Em França, o franchising iniciou-se em 2002 e actualmente conta com uma de rede de mais de 160 lojas, tendo apresentado em 2008 um volume de negócios de 70.000.000€.
Esteja também sempre atento à estratégia do negócio.


Um franchisado Illico Obras beneficia: 


· da utilização de uma marca de qualidade e com grande potencial de crescimento que se impõe no nosso país;
· de exclusividade geográfica na área de implantação da sua loja;
· de formação contínua proporcionada pelo master, para transmissão e desenvolvimento dos conhecimentos e técnicas necessários para o seu sucesso;
· de economias de escala, nomeadamente, no que respeita ao acesso a empresas parceiras da rede;
· de publicidade a nível nacional na imprensa nacional, televisão, internet, número azul… que se traduz num muito mais elevado reconhecimento da marca, por comparação com acções publicitárias de âmbito exclusivamente local;
· das sinergias naturalmente resultantes de uma rede, nomeadamente na contratação de negócios em parceria.
O sector alvo da Illico Obras, é composto pelos particulares e pequenas empresas que pretendam efectuar obras nas suas casas e instalações. É este mercado o mais afectado pela dispersão de serviços que se verifica nas actividade relacionadas com a construção civil e serão, portanto, estes agentes os que mais beneficiam da existência de um único interlocutor que os coloque em contacto com profissionais aptos para a realização dos trabalhos, e com garantia de qualidade de serviço.


Este conceito de franchising apresenta vantagens para o cliente mas também para as empresas e profissionais da construção que actuem em parceira com a Illico Obras: O cliente não perde tempo na procura de operadores das várias especialidades para efectuar uma simples obra e obtém ainda a garantia de um serviço de qualidade, assegurado pela Illico e pela sua rede de parceiros, que respondem a elevados critérios de selecção.
Aos profissionais do ramo é permitida a concentração das suas energias nas actividades core da empresa, não colocando em risco o seu volume de negócios, uma vez que o franchisado Illico se ocupará de desenvolver uma actividade comercial que traga frutos para ambos.


Os direitos de entrada neste franchising ascendem a € 23 000.00.


Todo o investimento pode alcançar os € 50 000 caso seja necessário adquirir mais equipamentos para o desenvolvimento da actividade, pelo que  será necessária a sua realização na fase de arranque do projecto: os direitos de entrada; o equipamento informático necessário para a gestão administrativa do negócio, a vários níveis, e como meio de contacto com os clientes; e a viatura para deslocações no âmbito do estabelecimento de contactos tanto com empreiteiros e construtores como com clientes. Um eventual montante referente a obras numa possível loja. Não esquecer ainda o fundo de maneio necessário para os primeiros meses de actividade e de forma a fazer face aos prazos de pagamento e recebimento Clique aqui para obter informações sobre opções de financiamento.

O mercado da TDT - Televisão Digital Terrestre



Recentemente a Televisão Digital Terrestre (TDT) voltou a ser notícia em Portugal. A TDT é uma nova tecnologia de teledifusão terrestre (através de antenas) em sinal digital e que deve substituir, em 2012, a actual transmissão tradicional, ou seja, a teledifusão analógica terrestre. É necessário aos utilizadores possuirem receptores. No mesmo caminho que os outros países europeus, Portugal procura um modelo que permita a viabilidade económica da TDT. Todos os países da União Europeia devem estar a operar através da TDT até 2012. Verifica-se que Portugal está bastante atrasado quando comparamos com o Reino-Unido, a operar desde 1998, Espanha e Suécia desde 1999, tendo nestes países os descodificadores sido financiados e os outros países europeus que neste período têm vindo a lançar os seus sistemas. O Brasil iniciou as suas emissões em finais de 2007 após um longo processo de análise e discussão de questões tecnológicas e estratégicas, sendo que os receptores foram financiados. A TDT apresenta-se como um modelo que será concorrente da televisão por cabo e da televisão por satélite.
A TDT vai possibilitar um maior número de canais, ainda com a possibilidade de inclusão de canais regionais, e uma qualidade de som e imagem da emissão muito superior à actual. Ir-se-á assistir a uma convergência entre diversos meios de comunicação electrónicos, entre eles o telefone fixo e móvel, a transmissão de dados e o acesso à Internet. A integração com redes móveis 3G vai tornar-se mais fácil permitindo a utilização da TDT nas redes de telemóveis.


Em termos tecnológicos, na Europa adoptou-se o formato DVB (Digital Video Broadcasting) que em conjunto com o MPH (Multimedia Home Platform), software disponível na unidade receptora do utilizador, e o RCT (Return Channel Terrestrial), canal exclusivo para retorno de informações, vão permitir um conjunto de novas facilidades que convém saber explorar. Haverá novas possibilidades de disponibilização de informação adicional sobre os programas, começando com o EPG (Electronic Programming Guide). Prevendo-se, contudo, uma evolução significativa quanto aos conteúdos para facilitar a viabilidade económica do sistema. Além disso, as características do sistema vão permitir às pessoas com necessidades especiais um acesso facilitado. Estas novas funcionalidades podem servir de alavanca para a aceitabilidade da TDT, através de uma contribuição para a superação do problema da exclusão social na sociedade da informação, elevação do nível cultural e educacional da sociedade com serviços educativos à medida, abertura para novas aplicações no futuro e uma maior interactividade em programas de televisão. Algumas destas vantagens começam a ser exploradas já noutros países.


A entidade fornecedora dos conteúdos deverá incluir informação adicional que descreva o conteúdo dos programas para que o utilizador tenha informação disponível para definir e escolher o que pretende visualizar ou aceder. A passagem da tecnologia analógica, actual, para a digital, vai permitir o aparecimento de novos meios de veiculação de informação, por parte do fornecedor de conteúdos, que facilitará o aparecimento de novas aplicações, do lado do utilizador, que lhe permita definir, entre outros, um conjunto de perfis que reflictam o que pretende visualizar ou gravar para posterior visualização.
A juntar ao desenvolvimento futuro da TDT tem-se actualmente a Mobile TV, cuja  penetração e aceitabilidade vão depender das facilidades de acesso disponibilizadas. A versão actual que permite uma utilização apenas com base na escolha do programa com base em informação cronológica é limitada, principalmente numa situação em que o custo e a qualidade de visualização dependem da utilização da largura de banda. É novamente uma área onde a possibilidade do utilizador definir o seu perfil de interesses, neste caso no lado do servidor, vai-lhe permitir visualizar apenas o que pretende, minimizando a utilização da rede de comunicações, tornando o serviço mais eficiente, diminuindo o custo para o utilizador e aumentando o nível de aceitabilidade por parte dos utilizadores.
Concluindo, verifica-se que para estas novas formas de comunicação se torna necessário aceder à informação

Franchisings de Sucesso - Prink

Apresentação do Franchising Prink

 Actividade: CAE 47410 V. 3.0 Comércio a retalho de computadores, unidades periféricas e programas informáticos, em estabelecimentos especializados

O mercado de consumíveis para impressoras, faxes, fotocopiadoras e plotters é o mais rico de toda a informática. O número de páginas impressas regista todos os anos um crescimento enorme. Fenómenos como a fotografia digital, a pesquisa por internet, o correio electrónico, etc, faz com que a impressão sofra um grande aumento, quer em casa quer nos escritórios. Os clientes das lojas Prink podem ser caracterizados da seguinte forma: consumidores finais (particulares) e PME´s. Dentro das PME´s na maioria são empresas de serviços: contabilistas, advogados, agências de viagens, imobiliárias, entre outras. Como principal concorrente têm a Staples Office Center, mas a empresa não a considera uma ameaça visto a Staples ser mais generalista e com pessoal pouco qualificado nesta área onde o Franchising PRINK se insere.


Actualmente já existem cerca de 30 lojas franchisadas PRINK distribuídas pelo território nacional e mais de 500 lojas em toda a Europa. Alguns franchisados nacionais chegam a ter mais do que uma loja aberta, existem mesmo franchisados que têm mais do que uma loja.

O investimento total neste negócio de franchising pode ascender a um valor entre € 40 000.00 e € 50 000.00, já incluindo o valor dos Direitos de Ingresso. O Master da Prink instala parte dos equipamentos.
Tendo em conta que com a actual conjuntura a banca financia até 70% do valor do projecto, o promotor pode precisar de um valor até € 15 000.00 para iniciar o negócio. Trata-se desta forma de um franchising que pode adaptar-se muito bem a desempregados que pretendem criar o seu próprio emprego ao abrigo do PAECPE (Programa de Apoio ao Empreendedorismo e à Criação do Próprio Emprego, com o apoio do IEFP), que inclui as linhas Invest + e Microinvest (esta última para financiamentos até €25 000.00). Pode no entanto ser elegível para outras opções de financiamento bancário. Contacte-nos para obter toda a orientação e consultoria necessária para o seu projecto. O enquadramento e pré-análise de viabilidade é gratuito: Up to Start - Consultoria e Projectos de Investimento.

quarta-feira, 28 de dezembro de 2011

Análise do mercado Livreiro



O CAE - Código de Actividade Empresarial deste sector é o 58110 - Edição de Livros.


O mercado livreiro em Portugal tem-se mostrado bastante estagnado nos últimos anos em termos da edição e venda de publicações. O total anual de edições oscilou entre as 15 e as 16 mil, sem que se revele qualquer tendência de evolução. Dessas, entre 10 e 11 mil respeitam a monografias, portanto edições não periódicas e as obras originais em Português
representaram entre 69% e 75% (fonte: Observatório das Actividade Culturais).
Assim, em média, cerca de 200 novas obras chegam, por semana, às livrarias e, devido a que, regra geral, impera o regime de venda em consignação, estima-se que mais de 80% destas edições não permanecem no comércio livreiro, originando um volume de evoluções e um stock remanescente nas editoras muito substanciais. Calcula-se pois que, de todas as obras publicadas nos últimos doze anos, haverá mais de 100 mil títulos que já não ou dificilmente se conseguem encontrar à venda.




O mercado nacional de edições gerais representa cerca de 200 milhões de euros (vendas ao consumidor final), tendo apresentado nos últimos anos 4 anos um crescimento sucessivo e estável na ordem dos 5% ao ano. Para isto contribuiu de forma decisiva o facto do livro ter acompanhado a expansão da grande distribuição em Portugal e os crescentes níveis de alfabetização da população portuguesa.


Nos últimos cinco anos, o mercado editorial português de edições gerais tem vindo a sofrer um processo de concentração empresarial que culminou recentemente com a aquisição dos activos da Bertrand Editora e Livrarias por parte da Porto Editora. De um mercado fragmentado, baseado em empresas de pequena/média dimensão, com natureza familiar ou ideológica, passamos para um sistema mais profissional e orientado pelo mercado. Com a alienação da Bertrand, segundo dados da consultora independente GFK, Leya e Porto  editora passam agora a deter 40% de quota de mercado da edição de livros não escolares em Portugal.
A Porto Editora e Leya vão agora tentar maximizar a sua posição e os seus negócios, junto do retalho e dos autores (principais parceiros das editoras) tentando tirar partido da falta de dimensão dos projectos alternativos existentes no mercado.

O mercado retalhista livreiro em Portugal está bastante concentrado, 70% das vendas são realizadas entre as cadeias de hipermercados, as lojas Bertrand e Fnac.

A compra de livros pela Internet é ainda muita reduzida, representando uma percentagem inferior a 10%, entre os sites portugueses e estrangeiros, verificando-se, no entanto, uma tendência crescente.

Um exemplo flagrante de sucesso é o da Amazon que, disponibilizando mais de 3 milhões de títulos em catálogo, vende, de cerca de 2 milhões deles, apenas 1 ou menos exemplares por ano. Tal só é possível pelo recurso às tecnologias que tornam o custo do  armazenamento dessas obras marginalmente nulo.




Consulte mais Análises Sectoriais ou encomende através dos nossos contactos um estudo de mercado (com dados existentes ou dados novos).

Franchisings de Sucesso - Jani-King




A JANI-KING possui uma vasta àrea de actuação e é líder mundial de limpeza comercial e tem um dos mais altos níveis de retenção de clientes na indústria de limpeza comercial;

Os clientes e os franchisados contam com uma empresa de enorme reputação existente como um dos melhores investimentos de franchising na indústria. A revista Entrepreneur classificou a Jani-King como a Empresa de Franchise de Limpeza Comercial número Um 19 vezes nos passados 19 anos, até 2006.

A Up to Start apoia o crescimento de Franchisings através de pacotes de soluções para Franchising que visa acrescentar valor ao pacote inicial do franchisado, dissipar as dúvidas iniciais na área financeira e apoio no pedido de financiamento com a elaboração do Plano de Negócios e Estudo de Viabilidade Económica e Financeira e restante consultoria de investimento até ao promotor ter a empresa a funcionar. 



Serviços incluidos no preço do franchising e a fornecer pelo Master Franchising Jani-king:

  • Um Kit inicial completo de todos os electrodomésticos, materiais e produtos de limpeza necessários ao inicio da actividade;
  •  No custo do franchising, está incluido um valor de receitas iniciais no montante de 4.000€00 mensais a fornecer à promotora Cristina Machado, sendo da responsabilidade da Jani-king a obtenção dos clientes que perfaçam esse montante, contando para o efeito com um prazo máximo cerca de 150 dias;
  •  O Master franchising assegura negócios iniciais e continuos aos seus franchisados;
  •  O Master Franchise auxilia os Franchisados em questões de secretariado, prospecção comercial e administração;
  • A Jani-King fornece formação operacional relativamente aos métodos e prestação de  serviços a realizar, e sobre a maneira de gerir e de desenvolver o negócio de Franchise.
  • Cada Franchisado tem direito a um programa de Formação que durará cerca de 36 horas  que inclui um Kit de videos de Formação, um Manual de Formação, um Manual de Operações, um Manual todo dedicado à Segurança e um Manual de Normas e Procedimentos. O programa de Formação cobre também as relações e a comunicação com o Cliente, assim como aulas práticas de limpeza.


O maste franchising Jani-King cuida de tudo, desde o acto da venda, no auxílio da realização de propostas e na formação, bem como, na realização da facturação dos clientes mensalmente e gere todas as dívidas dos Clientes, ajudando ainda nas cobranças e na preparação dos relatórios para cada franchisado;

Antes de decidir por um franchising, consulte outras opções como o caso da Chaviarte, Vivafit, Curves e Go Fit, Ginásios de Educação Da Vinci, e o Minipreço, sendo que se pensa optar por um Minipreço, convém estar atento à domesão do Mercado da Distribuição.

Para avançar como franchisado Jani-King, o investimento necessário é reduzido (cerca de €25 000.00 incluindo direitos de ingresso) e pode optar por uma das linha de financiamento disponíveis. Os direitos de ingresso incluem o items acima descritos assim como equipamento de limpeza. 

O CAE da actividade é o 81210 - Actividades de Limpeza Geral em Edificios.

terça-feira, 27 de dezembro de 2011

Franchisings de Sucesso - Ginásios: Curve e Go Fit

Curves

É a maior rede de franchising do mundo na indústria do fitness, em 10269 locais (mais de 61 países, e ainda está a crescer). Trata-se da primeira marca de centros de exercícios e perda de peso dedicado ao fornecimento de treinos rápidos e programas nutricionais só para mulheres.
O circuito do Curves é um completo treino de exercícios que inclui as cinco componentes necessárias: aquecimento, exercício aeróbico, treino de força, retorno à calma e alongamentos. Curves fornece um programa de 6 Semanas relativamente a alimentação. O serviço Curves Solução de 6 Semana altera o metabolismo de cada individual, oferecendo uma grande variedade de alimentos. Utilizam profissionais de saúde para ensinar ao staff como falar com as suas clientes acerca do seu peso.
O investimento no Franchising Curves pode ir de € 80 000.00 a €100 000.00 (investimento em imobilizado e fundo de maneio), sendo que os direitos de ingresso devem rondar os € 40 000.00. Aos Royalties acresce ainda uma taxa de publicidade de 3%. Para implementar um negócio Curve numa determinada localidade, é necessária uma população mínima de 20 mil habitantes. Necessário como sempre e em qualquer negócio, apresentar às fontes de financiamento (banca) o Plano de Negócios e Estudo de Viabilidade Económica e Financeira.




Franchising Go Fit

Fornece treinos em circuito de 30 minutos, tratamentos intensivos e depilação permanente, terapia e tratamentos completos para o corpo, com ferramentas e máquinas altamente testadas, seguros e eficazes no tratamento da celulite, obesidade, útil para desintoxicar ou simplesmente para combater o stress, ansiedade, Cansaço mental e sistema nervoso. Situações que ocorrem frequentemente.
A Go Fit tem um procedimento de 30 dias de garantia em que durante o primeiro mês, os clientes têm de ir treinar pelo menos 12 vezes, cada uma de 30 minutos. Caso no final do primeiro mês, a cliente não se sente satisfeita, a GO Fit retoma toda a quantia de volta.



Se o que procura é mesmo um negócio de franchising relacionado com ginásio, será bom estudar também o Vivafit.

Franchisings de Sucesso - Vivafit

O primeiro Vivafit – Oeiras abriu em Janeiro de 2003 e é hoje um negócio bem sucedido. O crescimento exponencial começou em 2006 com uma equipa de apoio que permitiu a abertura de 34 centros de franchising Vivafit. De 2005 a 2006 o negócio viu um aumento de 300% na equipa de apoio. O ano de 2007 terminou com 25000 membros reportados pelo sistema de franchising. 
A Vivafit franchisador acrescentou 29 aberturas no decurso do ano de 2007 e encontra-se com mais de 80 centros em funcionamento em Portugal e Espanha. A marca iniciou 2008 com 64 unidades e durante o primeiro semestre do ano a rede cresceu para 79 localizações (mais 15 unidades). Actualmente, a rede de franchising conta com um total de 83 ginásios em Portugal – três próprios e 80 franchisados – e uma unidade própria em  Espanha (Madrid).
A empresa gere um negócio que oferece treinos rápidos só para as mulheres ocupadas que querem beneficiar de um programa de exercício regular. A chave está em oferecer soluções de exercício a um preço acessível num ambiente confortável e enérgico. O nosso sucesso é diferenciado no processo inicial das novas sócias nos centros Vivafit e no apoio às mesmas durante a fase da mudança de hábito até ao momento em que elas chegam à manutenção.




A Vivafit lidera o segmento dos ginásios só para mulheres com mais de 30 mil sócias activas. É a maior rede nacional do sector de fitness em número de unidades e a marca de franchising que mais cresce em novas aberturas. Além da primeira posição no ranking de crescimento semestral do Instituto de Informação em Franchising, a Vivafit integra o grupo das dez maiores marcas de franchising em Portugal, com a sexta posição, e é sétima marca no ranking nacional de serviços a particulares.
A Vivafit foi a marca de franchising que mais cresceu, em número de unidades, no primeiro semestre de 2008, segundo dados do IIF – Instituto de Informação em Franchising. Conheça outros dois Franchisings, o Minipreço, ChaviarteGinásios da Educação Da Vinci.

O modelo de franchising do Vivafit encaixa-se perfeitamente para a pessoa “nova no exercício”. Com uma área de exercício mais pequena e privada as pessoas conseguem obter a atenção que precisam para se sentirem confortáveis com a sua rotina de exercício. Adicionalmente, o simples circuito hidráulico não é intimidante e cada pessoa mexe-se ao seu próprio ritmo. Finalmente, o programa de 30 minutos é atractivo para qualquer pessoa ocupada.


Com um valor entre €80 000.00 e €120 000.00 consegue-se facilmente abrir um Ginásio Vivafit, sendo que cerca de 30% deverá ser financiado por Capitais Próprios (Autonomia Financeira de 30%), de forma a dar conforto às fontes de financiamento e de forma a financiar o fundo de maneio necessário à actividade da empresa com Capitais Próprios. O valor inclui os direitos de ingresso do franchisador. 
O investimento a realizar deve ser estruturado nas fontes de financiamento necessárias: Financiamento Bancário e Capitais Próprios. De forma a conseguir o financiamento, o promotor deverá ter um Plano de Negócios estruturado e que apoie a ideia.


Conheça ainda as Soluções para Franchisings e algumas características das opções de financiamento existentes.


Este é já um conceito testado e com provas dadas, sendo que a banca e entidades financiadoras têm alguma apetência em apoiar este tipo de negócio.

sexta-feira, 23 de dezembro de 2011

Posicionamento diferenciado na Restauração

Embora não se trate de uma análise sectorial conforme outras anteriores, este artigo pode ajudar a perceber um pouco melhor se pode fazer diferenciação na restauração e talvez assim ajudar a ultrapassar a conjuntura.

A restauração caracteriza-se por uma elevada fragmentação da oferta, um número
limitado de empresas globais competindo com muitos concorrentes de base local e ou
regional. Assim, mais de 90% do tecido empresarial é constituído por micro-empresas.
Podem ser identificados 3 subsegmentos: massificado/indiferenciado, diferenciado e
topo de gama.


Massificado

As empresas deste segmento prestam um serviço de interesse público e estabilidade
económica e social, na medida em que o seu aparecimento surge em função das
crescentes necessidades geradas pela sociedade moderna, nomeadamente, “ter de
comer fora de casa”.

Este mercado expandiu-se nos últimos anos devido, sobretudo, ao crescimento
económico traduzido: na urbanização acelerada; crescente ocupação do mercado de
trabalho pelas mulheres; aumento da distância média entre local de trabalho e residência; diminuição dos tradicionais “postos fixos de trabalho”, em detrimento de
profissões móveis que exigem inúmeras deslocações.
Nos últimos anos assistimos a uma explosão deste tipo de empresas, as quais visam
satisfazer necessidades de conveniência, rapidez e custo.

Encontramos neste segmento 2 tipos de oferta:

• Grandes cadeias standardizadas
> o seu aparecimento em Portugal é relativamente recente
> apresentam as maiores taxas de crescimento na restauração
> oferecem um serviço de qualidade e imagem padronizados
> beneficiam de estruturas centrais de logística e marketing institucional
> oferecem garantias de cumprimento das diversas regulamentações, nomeadamente
de higiene e segurança
> em fase de crescimento em Portugal

• Estabelecimentos individuais
> caracterizam-se pelo excessivo número de empresas que compõe um mercado
altamente fragmentado
> podem ser encontrados em praticamente todas “as esquinas”
> grande parte destes estabelecimentos nem sempre cumpre as regras mínimas de
higiene e segurança
> não apresentam nenhum factor de diferenciação (não usufruem de uma decoração
especial, oferta de marca conhecida ou produto específico)
> negócios familiares

Diferenciado

Este segmento tem por objectivo a oferta ao consumidor de algo mais do que
refeições baratas, convenientes e próximas. Esta diferenciação pode passar por:
> oferta temática
> gastronomia específica
> decoração
> ambiente acolhedor
> animação
> atractivos naturais/culturais
Este segmento implica investimentos mais avultados, quer pelo facto de se situar em
zonas mais dispendiosas quer por exigir a colaboração de profissionais especializados
e um maior esforço de adequação às expectativas dos clientes.
Dado destinar-se a um consumo do segmento médio/alto, permite a aplicação de
margens mais elevadas.
Apesar de já apresentar em Portugal alguma oferta, este segmento carece, ainda, de
potenciais iniciativas.
Surgem como factores críticos de sucesso: a localização; a qualificação do pessoal; a
existência de estacionamento; a criatividade e a presença do proprietário do
restaurante.
A aposta deve ser em nichos de mercado diferenciados, bem como na qualidade. Só
assim será possível garantir o futuro sucesso.


Topo de Gama

Este segmento contempla estabelecimentos que visam prestar serviços distinguidos
por um requinte e qualidade superiores, destinando-se a um segmento médio/alto.
Apesar de constituir um segmento a apostar, os investimentos exigidos são elevados e
o posicionamento e sustentabilidade difíceis de alcançar.

Franchisings de Sucesso - Ginásios da Educação Da Vinci


Mais uma abordagem ao mercado dos Franchisings, desta vez os Ginásios da Educação Da Vinci.
O Franchising Ginásios da Educação Da Vinci são um novo e inovador conceito de espaço, imagem e metodologia que tem como objectivo central a promoção do desenvolvimento do indivíduo o longo da vida. Assumindo o concei to de “multi-serviços de educação” , presta uma vasta gama de actividades lúdico-didácticas que cobrem as áreas diversificadas do conhecimento e do desenvolvimento psicomotor, afectivo, social e cognitivo, e que pretendem contribuir para o desenvolvimento integral do indivíduo, mas também para a consolidação de uma cultura de empreendedorismo. A construção e dinamização das actividades é assegurada por equipas multidisciplinares constituídas por professores, psicólogos e animadores que, recorrendo às novas ferramentas de “elearning” e “live-learning”, procuram criar acções educativas, culturais, artísticas e desportivas que constituam desafios e que sejam, simultaneamente, significativas e capazes de incentivar a descoberta, a criatividade e a criticidade de pequenos e graúdos.
Os franchisings Ginásios da Educação Da Vinci destacam-se não só pelo espectro de serviços que oferecem mas também pela tipologia e qual idade de espaço, qual idade essa que se avalia, de certa forma, através das condições materiais, dos meios técnicos, dos recursos humanos , das condições de segurança e dos valores éticos e culturais veiculados. É assim, num ambiente acolhedor, confortável e inovador que pessoas de diferentes faixas etárias convivem e partilham momentos de crescimento.
Mercado alvo:
Do mercado alvo constam alunos do pré-escolar ao ensino superior, bem como o público em geral que queira apostar no seu enriquecimento pessoal e profissional.

CAE (Código de Actividade Empresarial): 85600 Actividades de Serviços de Apoio à Educação.
O Franchisador oferece apoio ao longo da vida do franchisado, sendo que este paga:
Os Royalties que corresponde a 6% do valor das receita;
De referir ainda que há um Fundo Nacional de Publicidade que corresponde a 1,5% das receitas e que se destina a financiar a Publicidade que a Marca Da Vinci contrata com os franchisados. Como este valor não representa um custo, mas sim uma reserva monetária que se reflecte na facturação da publicidade.
Se estiver mais inclinado para um negócio de táxis, clique aqui.
Já abordámos outros franchisings como a Chaviarte e o Minipreço. Consulte a Up to Start – Consultoria e Projectos de Investimento para qualquer esclarecimento.

Franchisings de Sucesso - Chaviarte


Franchisador: Chaviarte – Chaves, Lda
A Chaviarte – Chaves, Lda. iniciou a sua actividade em 3 Junho de 1995, com um estabelecimento no centro de V. N. Gaia, sendo a sociedade constituída por três sócios, com experiência anterior neste ramo e que ainda hoje se mantém inalterada e sólida.
Realizou uma primeira experiência em Franchising em 1997, experiência que resultou e ainda se mantém na cidade da Póvoa do Varzim. Até 2005 a Chaviarte abriu um total de 9 estabelecimentos próprios, localizados entre Porto, Coimbra e Lisboa, transformando a empresa num grupo nacional. A partir deste ano iniciou um ambicioso plano de expansão, fortemente ancorado num projecto de Franchising preparado ao longo de 18 meses, que beneficiou da primeira experiência na Póvoa do Varzim, dos 10 anos de actividade em constante evolução e crescimento, e de um estudo aprofundado sobre a organização em Franchising. Para o efeito foi registada a marca “Chaviarte Express” e adicionado o serviço de reparação rápida de calçado. No Verão de 2008 a rede de franchising Chaviarte registava um crescimento de 355%, atingindo as 32 unidades abertas.

O negócio de franchising Chaviarte dedica-se à venda ao público dos produtos e serviços de conveniência, tais
como duplicação de chaves, reparação rápida de calçado, execução de carimbos, matriculas e gravações, venda e reparação de cofres e fechaduras, efectuada ao balcão da loja.

Aos franchisados é disponibilizado uma estrutura de apoio que permite delegar tarefas de gestão e marketing



O Investimento neste negócio de franchising pode ir de € 60 000.00 a € 80 000.00, o que é um valor inferior ao franchising do Minipreço. Pode ser necessário recorrer a linhas de financiamento ou caso tenha alguns Capitais Próprio um financiamento mais reduzido como o microcrédito.

Ainda não foi feita a análise sectorial a este sector. No entanto, uma das maiores mais-valias deste negócio reside no seu público-alvo, que é a totalidade da população adulta residente. Todas as pessoas necessitam de reparação de calçado, todos utilizam chaves no seu dia-a-dia.
O site da Chaviarte é http://www.chaviarte.pt/.

Obtenha mais informações e orientações sobre Franchisings consultando a Up to Start.

Análise de Mercado e Sectorial - Escolas de Pilotagem


O CAE das escolas de pilotagem é o: 85530 - Escolas de condução e pilotagem


Com a crescente procura no mercado de transporte aéreo quer por via do segmento turístico quer por via do aumento do comércio internacional cresce igualmente a procura por pessoas com formação específica que possam dar resposta a um mercado de franco crescimento.
Segundo dados de um estudo da IATA divulgado em 2010, apesar do sector das companhias de aviação (transporte) apresentar retornos accionistas insuficientes, o mercado da aviação continua a apresentar oportunidades de crescimento interessantes em vários mercados emergentes, nomeadamente na região da Ásia-Pacífico, prevendo-se 350 milhões de novos passageiros nos próximos cinco anos.
Embora o ambiente económico seja ainda desafiante o comércio internacional está animado e apesar das dificuldades sentidas especialmente na chamada Europa Periférica, o tráfego aéreo não tem mostrado sinais de abrandamento, o que continuará a funcionar como um driver importante na contratação de pilotos e pessoal especializado por parte das companhias de aviação.
No campo específico da formação, as Escolas de Aviação e de Pilotagem pretendem colmatar a possibilidade de um volume de negócios potencialmente mais fraco em termos de mercado doméstico num período de contracção económica com uma aposta na vertente internacional.
No presente estudo não foi dada relevância à densidade populacional das freguesias onde a empresa estará inserida tendo em conta que os potenciais clientes serão em boa parte ou estrangeiros ou então oriundos de várias zonas do País.
Em termos de risco do mercado, trata-se de um mercado de risco reduzido uma vez que:
- A evolução deste mercado é relativamente estável;
- É caracterizado por uma elevada diversificação de clientes;
- O risco de crédito dos clientes é muito reduzido;
- Os fornecedores são facilmente substituíveis;



Análise Sectorial
De acordo com os dados do mercado, a actividade de Escolas de Pilotagem é uma actividade de baixo risco (76% das empresas possuem rating de risco baixo).
De acordo com os dados disponibilizados e análise feita a outras empresas do mesmo sector, trata-se de uma actividade onde as margens são largas (o EBITDA médio do sector corresponde a 20% da facturação das empresas), Resultados Liquidos que proporcionam estruturas de Capitais Próprios estáveis (Autonomia Financeira média do sector é de 39%) e elevado Solvabilidade.
Veja mais Análises Sectoriais. A empresas de comércio de veículos automóveis podem também ser boas indicadoras de economia.

Concorrência, Bechmarking e política de preços

O mercado das escolas de aviação em Portugal encontra-se ainda por consolidar, sendo identificáveis facilmente seis outros players: Gestair, Leavia, Omni, AWA, Nortavia, AE Évora, um deles com uma política de preços já relativamente agressiva, sendo que apenas dois players utilizam o sistema de voo integrado Garmin 1000 (trata-se de um cockpit de voo que acrescenta um valor significativo à formação dos alunos e aos cursos ministrados).
A lista abaixo apresenta as Escolas de Aviação e Pilotagem e comparação dos preços dos cursos ATPL (em 2011) e links:

Preço ATPL
63.000 €
Preço ATPL
49.700 €
Nº Horas de Voo
165
Nº Horas de Voo
190
Utiliza Garmin 1000
Sim
Utiliza Garmin 1000
Não
Preço ATPL
57.000 €
Preço ATPL
59.000 €
Nº Horas de Voo
182
Nº Horas de Voo
197
Utiliza Garmin 1000
Sim
Utiliza Garmin 1000
Não
Escola
A.E:Evora
Preço ATPL
50.000 €
Preço ATPL
67.000 €
Nº Horas de Voo
190
Nº Horas de Voo
200
Utiliza Garmin 1000
Não
Utiliza Garmin 1000
Não


Para consituir uma empresa nesta actividade de Escola de Pilotagem, o investimento pode ascender a pelo menos 100 mil Euros (sem a aquisição dos aviões, sendo que as aeronaves mais comuns para formação são a Diamond DV20, Grob 115, o Diamond DA40, Cessna 172, Piper PA18 e a aeronave bi-motor Diamond DA42 ).
Já agora, porque não ouvir um pouco esta música que tem muito haver com aviões, mais especificamente o G6 também conhecido por Gulfstream G650.
Para financiamento do projecto, a empresa pode recorrer a alguma destas linhas de financiamento ou elaborar uma proposta para concorrer a Incentivos QREN (Consulte as datas dos concursos QREN).
Se estiver interessado em saber mais sobre este mercado, sobre outro mercado ou qualquer projecto de investimento, contacte-nos: Up to Start - Consultoria e Projectos de Investimento, Lda
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...